Detecção de larvas de Anisakidae parasitando Plagioscion squamosissimus e Pellona castelnaeana no Estado do Pará, Brasil

Núbia Lorena Farias Rabelo, Thatyana Cristina Muniz e Silva, Laudemir Roberto Ferreira Araujo, Raul Henrique da Silva Pinheiro, Carlos Alberto Machado da Rocha

Resumo


Cinco espécimes de Plagioscion squamosissimus do rio Xingu e dez espécimes de Pellona castelnaeana da Ilha do Mosqueiro, ambos no Estado do Pará, Brasil, foram examinados para investigar a presença de nematodas Anisakidae, devido ao seu potencial zoonótico. Também foram determinados seus índices de parasitismo e sítios de infestação. Esse é o primeiro registro de Anisakidae parasitando Pellona castelnaeana. Foram encontradas 484 larvas de Anisakidae de terceiro estágio (L3), sendo 42 em P. squamosissimus e 442 em P. castelnaeana. Os índices parasitários de anisaquídeos coletados de P. squamosissimus compreenderam prevalência (P) de 100%, intensidade de infecção média (IM) de 8.4, amplitude de infecção (AI) de 1-13, abundância média (AM) de 8,4 e local de infecção (LI) na cavidade abdominal. P. castelnaeana apresentou P = 100%, IM = 44,2, AI = 10-114, AM = 44,2 e LI = cavidade abdominal, ceco e estômago. O ciclo de vida desses nematodas pode ser completo na bacia Amazônica, já que os dois hospedeiros fazem parte da dieta de cetáceos da região, que atuam como hospedeiros finais. Esses achados têm consequência importante na epidemiologia de anisaquíases, devendo haver mais atenção em relação à proteção humana contra esse problema de saúde pública.

Palavras-chave


peixes de água doce; zoonoses; anisakidae; bacia amazônica

Texto completo:

PDF (English) HTML (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Acta Scientiarum. Biological Sciences
 
Avenida Colombo, 5790
CEP 87020-900 - Maringá - PR
Tel: (+55 44) 3011-4253
Fax: (+55 44) 3011-4253
 
actabiol@uem.br
http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/ActaSciBiolSci/