Situação da tuberculose em ovinos consorciados com bovinos leiteiros na região sudoeste maranhense

Rosiane de Jesus Barros, Roberto Soares de Castro, Nancyleni Pinto Chaves, Adriano Mendes Moura, Michelle Lemos Vargens, Daniel Praseres Chaves

Resumo


Objetivando conhecer a situação da tuberculose ovina no Maranhão, avaliaram-se 343 ovinos da região sudoeste do estado, 247 fêmeas e 96 machos, com idade acima de 6 meses, por meio do teste cervical comparativo (TCC), com inoculação de tuberculinas na região cervical direita. Cranialmente, injetou-se derivado proteico purificado (PPD) aviário; e caudalmente, PPD bovino, em doses individuais de 0,1 mL. Todos os animais apresentaram resultado negativo para tuberculose, entretanto, 65 ovinos apresentaram reação à tuberculina bovina superior à aviária. Para investigar a possibilidade de baixa sensibilização ou anergia em animais com tuberculose avançada, foi necropsiado um ovino caquético, idade acima de quatro anos, com resultado negativo ao TCC, porém, com reação à tuberculina aviária e linfonodos aumentados com consistência endurecida. Os resultados indicaram infecções por C. pseudotuberculosisActinomyces pyogenes,Staphylococcus aureus e Mycobacterium sp. A cultura e o isolamento resultaram em Pseudomonas aeruginosas e Bacillus sp. Não foram visualizadas estruturas bacterianas compatíveis com bacilo álcool ácido resistente (BAAR). Os resultados confirmam ausência de animais reagentes ao M. bovis, pressupondo inexistência da tuberculose em ovinos na região estudada.

Palavras-chave


bacterioscopia; diagnóstico; histopatológico; teste cervical comparativo; tuberculina

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1808-1657000282015

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Arquivos do Instituto Biológico
 
Governo do Estado de São Paulo
Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA)
Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 1252
CEP 04014-900 - São Paulo - SP
Tel (+55 11) 5087-1701