Complexo respiratório felino: principais agentes Infecciosos

V. M. Lara

Resumo


Atualmente, os gatos são bastante populares e criados como animais de companhia. No Brasil estima-se que a população de gatos domiciliados seja em torno de 20 milhões. O aumento da população de gatos propiciou a disseminação de vários agentes etiológicos, e ocasionou um acréscimo ao número de atendimentos clínicos, devido principalmente às enfermidades infecciosas, tal como complexo respiratório felino. As infecções do trato respiratório superior, também conhecida como complexo respiratório felino, são consideradas as doenças mais relatadas em 30% da população de felinos que vivem em abrigos nos EUA. Estudos epidemiológicos e investigações diagnósticas identificaram pelo menos quatro patógenos comumente associados ao complexo respiratório felino, que são o herpesvírus felino tipo 1 (FeHV-1), o calicivírus felino (CVF), a Chlamydophila felis e a Bordetella bronchiseptica. A caracterização dos agentes etiológicos do complexo respiratório felino é de grande importância para determinar as medidas de controle e prevenção. Além disso, são de relevância para escolha correta do tratamento clínico, que é dificultado pela sobreposição de sintomas clínicos quando há co-infecção desses microrganismos. Ademais, na literatura nacional há uma escassez de dados referentes a esses agentes etiológicos, o que reflete a relevância desta revisão. 


Palavras-chave


Complexo respiratório felino. Herpesvírus felino. Calicivírus. Bordetella bronchiseptica. Chlamydophila felis

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Revista Ars Veterinaria
 
Faculdade de Ciencias Agrárias e Veterinárias, Campus de Jaboticabal-UNESP
Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellani km 5
CEP: 14884-900 - Jaboticabal - SP
Tel: (+55 16) 3209-2633