Variações nas capturas das lagostas vermelha (Panulirus meripurpuratus), verde (Panulirus laevicauda Latreille, 1817) e sapata (Scyllarides brasiliensis Rathbun, 1906) na costa de Pernambuco

Severino Adriano de Oliveira Lima, Humber Agrelli Andrade

Resumo


Lagostas são valiosos recursos pesqueiros na costa nordeste do Brasil. No estado de Pernambuco, as capturas das lagostas vermelha (Panulirus meripurpuratus) e verde (Panulirus laevicauda) foram elevadas, enquanto as da lagosta sapata (Scyllarides brasiliensis), reduzidas. Neste artigo, as variações mensais e anuais das capturas foram analisadas nos desembarques das três espécies entre 1999 e 2006. De maneira geral, a lagosta vermelha foi predominante. As capturas das lagostas vermelha e da verde decresceram rapidamente a partir do início da temporada de pesca, logo após o defeso, padrão esse não observado para a lagosta sapata. As capturas anuais provenientes das embarcações de comprimento pequeno ou intermediário foram maiores que as das embarcações de maior porte. São José da Coroa Grande, seguida do Recife, foi a cidade em que se verificaram as maiores quantidades desembarcadas. Houve zonação espacial no que diz respeito às proporções das três espécies nas capturas anuais. A lagosta vermelha foi amplamente dominante nas capturas da costa sul, onde a sapata não foi incomum. Na costa norte, a lagosta sapata foi rara, e a proporção de lagosta verde foi alta e similar à da lagosta vermelha.


Palavras-chave


lagostas espinhosas; lagosta sapata; zonação

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20950/1678-2305.2017v43n2p194

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Boletim do Instituto de Pesca
 
Instituto de Pesca
Caixa Postal 61070
CEP: 05001-970 - São Paulo - SP - Brasil
Fone: (+55 13) 3261-6571
 
ceip@pesca.sp.gov.br
www.pesca.sp.gov.br/siteOficialBoletim