Caracterização morfológica em pastos de capim-marandu submetidos a frequências de desfolhação e níveis de adubação

Jéssica Abreu de Sá Medica, Natani Silva Reis, Manoel Eduardo Rozalino Santos

Resumo


Os perfilhos são as unidades básicas de crescimento das gramíneas forrageiras e o perfilhamento é responsável pela adaptação e reestabelecimento da gramínea após a desfolhação. Portanto, é importante conhecer as modificações morfológicas dos perfilhos em função do ambiente de desfolhação e da adubação, duas importantes estratégias de manejo das pastagens. Assim, objetivou-se com este trabalho caracterizar as respostas morfológicas dos perfilhos do capim-marandu, em resposta à adubação e à frequência de desfolhação, para melhor compreensão da plasticidade fenotípica dessa planta. O trabalho foi realizado em dois anos experimentais, em que foram avaliados distintos intervalos de corte (sete, 14, 28, 56 e 112 dias), utilizando-se o delineamento em blocos casualizados, com quatro repetições. No segundo ano, além dos mesmos intervalos de corte avaliados no primeiro ano, também foram estudadas duas condições de adubação, sendo uma baixa (21,5 kg.ha-1 de P e 75 kg.ha-1 de N) e outra alta (43 kg.ha-1 de P e 300 kg.ha-1 de N). No segundo ano, utilizou-se o esquema fatorial. Em ambos os anos, as respostas para comprimento de colmo, comprimento da lâmina foliar, espaço entre as lâminas foliares e área foliar e peso do perfilho foram crescentes com o intervalo de corte. No segundo ano, a alta dose de adubos proporcionou maior número de perfilhos vegetativos, espaço entre lâminas foliares, área foliar, peso de perfilhos, folhas e colmos mais compridos, em comparação à baixa dose de adubos. No segundo ano, houve maior densidade populacional de perfilho reprodutivo com o maior intervalo de corte. A desfolhação e a adubação nitrogenada e fosfatada causam modificações morfológicas nos perfilhos do capim-marandu, indicando a ampla plasticidade fenotípica desta gramínea. 

Palavras-chave


fósforo; intervalo de corte; nitrogênio; Urochloa brizantha

Texto completo:

PDF HTML


DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1089-6891v18e-40460

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Ciência Animal Brasileira
 
Universidade Federal de Goiás. Escola de Veterinária e Zootecnia
Campus II UFG, Cx. Postal 131
CEP 74001-970 - Goiânia - GO - Brasil
Tel: (+55 62) 3521-1568
Fax: (+55 62) 3521-1566
 
revistacab@gmail.com
www.revistas.ufg.br