AVALIAÇÃO COPROPARASITOLÓGICA E CLÍNICA DE AVES SILVESTRES E EXÓTICAS MANTIDAS EM CRIATÓRIOS PARTICULARES NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES

Milena Batista Carneiro, Antônio de Calais Júnior, Isabella Vilhena F. Martins

Resumo


Objetivou-se traçar o perfil coproparasitológico e avaliar clinicamente aves silvestres e exóticas de criadores particulares de Alegre, ES. Foram examinados 36 pássaros distribuídos entre 25 coleiros, 08 trinca-ferros, 01 calopsita, 01 canário belga e 01 azulão. Das 36 aves examinadas, 14 (38,89%) apresentaram diagnóstico positivo para parasitose. Dos 25 coleiros examinados, 06 (24%) foram positivos para coccídios e 01 (4%) positivo para coccídios e ovos do tipo Strongyloidea. Dos 08 trinca-ferros, 04 (50%) foram positivos para coccídios e 02 (25%) foram positivos para coccídio e Giardia. A calopsita apresentou resultado positivo para coccídio e Giardia e o canário belga e azulão apresentaram resultados negativos para parasitos intestinais. Dos 25 animais examinados fisicamente, foram observados 06 animais com onicogrifose (24%), 03 animais com descamação de pele (12%), 02 animais obesos (8%), 01 animal magro (4%), 01 animal com diarréia (4%) e 01 animal com sinais respiratórios (4%). Com o perfil coproparasitológico foi possível verificar uma alta frequência de parasitoses nos pássaros examinados sem haver necessariamente sintomatologia clínica associada. A carência de profissionais especializados na área de animais silvestres e exóticos no município dificulta a realização de exames mais específicos e de orientações mais detalhadas sobre o manejo de determinadas aves.
PALAVRAS-CHAVE: exame coproparasitológico; avaliação clínica; ave silvestre; ave exótica.

Palavras-chave


Sanidade Animal; Doenças Parasitárias de Animais

Texto completo:

PDF HTML