Achados clínicos, laboratoriais e anatomopatológicos de bezerros com úlceras de abomaso

Leonardo Magno de Souza, Regina Nóbrega de Assis, Rafael Otaviano do Rego, Jomel Francisco dos Santos, Luiz Teles Coutinho, José Cláudio de Almeida Souza, Carla Lopes de Mendonça, José Augusto Bastos Afonso, Rodolfo José Cavalcanti Souto

Resumo


O objetivo deste trabalho foi relatar os principais achados clínicos, laboratoriais e anatomopatológicos de oito bezerros acometidos com úlceras de abomaso, atendidos na Clínica de Bovinos, Campus Garanhuns/Universidade Federal Rural de Pernambuco - UFRPE, no período de 2000 a 2014. As principais queixas relatadas pelos proprietários foram: apatia e em alguns casos diarreia de coloração enegrecida. Ao exame físico foram evidenciadas: apatia, anorexia, palidez de mucosas, caquexia, hipertermia e desidratação de grau moderado a grave. Ao exame do abdômen foram constatadas alterações no contorno, hipomotilidade ruminal, abomasal e intestinal. As fezes se apresentaram na grande maioria dos casos pastosas, de coloração enegrecida, fétidas e com muco. Alguns dos animais apresentaram doenças concomitantes: broncopneumonia, tristeza parasitária, timpanismo e diarreia. Dos oito animais atendidos, sete vieram a óbito e apenas um recebeu alta. Dentre as alterações encontradas no hemograma chamaram atenção leucocitose por neutrofilia ( = 18.400/µL). Hipoproteinemia, hiperfibrinogenemia e diminuição do hematócrito. A análise do fluído ruminal destacou o comprometimento acentuado do número de infusórios vivos, diminuição da densidade e motilidade, odor alterado, coloração quase sempre enegrecida e elevação no teor de cloretos ( = 73,58 mEq/L). Os principais achados anatomopatológicos foram: úlceras de tamanhos e tipos variados distribuídas pela mucosa abomasal, coágulos no lúmen do órgão, estenose pilórica e peritonite difusa. Diante desses achados conclui-se que esta enfermidade tem grande importância econômica e produtiva, principalmente em animais mais jovens como os bezerros que quando acometidos possuem risco de morte.

Palavras-chave


abomasite; bovinos jovens; peritonite; transtornos digestivos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Ciência Veterinária nos Trópicos
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco - CRMV-PE
Rua Conselheiro Theodoro, 460 - Zumbi
CEP 50711-030 - Recife - PE
Tel (+55 81) 3797-2517
Fax (+55 81) 3797.2514