Prevenção das acidoses ruminais em rebanhos leiteiros: novos conceitos

Enrico Lippi Ortolani, Rejane dos Santos Sousa, Francisco Leonardo Costa de Oliveira, Natalia Sato Minami, Mailson Rennan Borges Dias

Resumo


A ingestão excessiva ou anormal de carboidratos solúveis favorece o surgimento das acidoses ruminais, existindo dois tipos: a provocada pelo aumento de ácidos graxos voláteis caracterizada por pH ruminal entre 5,6 a 5,1 e a decorrente da produção anormal de ácido láctico, gerando um pH ruminal inferior a 5,1. Essas enfermidades provocam depressão no estado geral, diminuição do apetite, da produção leiteira, da frequência ruminal e da ruminação, causam diarreia, desidratação entre outros sinais. A prevenção é a chave do manejo da acidose ruminal e está baseada na identificação dos casos clínicos, observação de casos de laminite, melhora no manejo favorecendo a salivação, oferecimento e distribuição adequada da dieta, adaptação gradual aos concentrados, uso de tampões e aditivos alimentares.


Palavras-chave


aditivos; lactato; pH; salivação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Ciência Veterinária nos Trópicos
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco - CRMV-PE
Rua Conselheiro Theodoro, 460 - Zumbi
CEP 50711-030 - Recife - PE
Tel (+55 81) 3797-2517
Fax (+55 81) 3797.2514