Utilização de óleos vegetais em dietas para juvenis de piava (Leporinus obtusidens)

Taida Juliana Adorian, Patrícia Inês Mombach, Dirleise Pianesso, Juliano Uczay, Junior Decarlli, Rafael Lazzari

Resumo


Objetivou-se avaliar a resposta de piavas (Leporinus obtusidens) após a utilização de óleos vegetais nas dietas, sobre o desempenho, deposição nutricional e atividade de enzimas digestivas. Durante 35 dias foram testadas cinco dietas, com a inclusão de 3% dos óleos de milho, soja, canola, linhaça e um tratamento controle sem inclusão de óleo. Peixes com peso inicial médio de 1,78±0,07 g foram distribuídos ao acaso em um sistema de recirculação de água composto por 15 tanques, com parâmetros de qualidade de água adequados durante todo período experimental. Ao final do experimento realizou-se biometria para coleta de dados. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com cinco tratamentos e três repetições, os dados obtidos foram submetidos a teste de normalidade e análise de variância. As médias obtidas, quando significativas, foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Os peixes alimentados com dietas contendo óleo de canola apresentaram maior peso e comprimento total e deposição de proteína, quando comparados ao tratamento controle. Maior atividade de quimotripsina foi observada nos peixes alimentados com a dieta contendo óleo de soja e menor com óleo de linhaça. Conclui-se que o uso de óleos na dieta é indispensável para melhor desempenho dos peixes, sendo o óleo de canola o mais indicado por otimizar a deposição de proteína corporal pelos animais.

Palavras-chave


óleo de canola; fontes lipídicas; peixe; enzimas digestivas; desempenho

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Revista de Ciências Agroveterinárias
 
Centro de Ciências Agroveterinárias - UDESC
Av. Luiz de Camões, 2090 - Bairro Conta Dinheiro
CEP 88520-000 - Lages - SC
Tel (+55 49) 3289-9152
 
rca.cav@udesc.br