Infecção por Streptococcus agalactiae em tilápias do Nilo (Oreochromis niloticus)

Paulo Fernandes Marcusso, Rogério Salvador, Fausto de Almeida Marinho-Neto

Resumo


Esta revisão tem por objetivo proporcionar maior entendimento sobre a estreptococose na criação de tilápias e com isso auxiliar na escolha do melhor método de profilaxia e controle desta enfermidade. Streptococcus agalactiae é um patógeno cosmopolita e o principal agente etiológico de septicemia e meningoencefalite em teleósteos. Surtos provocados por essa bactéria levam a altas taxas de morbidade e mortalidade de peixes, resultando em sérios prejuízos econômicos, especialmente na tilapicultura que é o ramo da aquicultura que mais produz no Brasil. Este trabalho traz as principais características da estreptococose em tilápias do Nilo e sua prevenção pelo uso de vacinas intraperitoneais. Novos estudos devem ser realizados com intuito de esclarecer ainda mais sua patogênese e aperfeiçoar os métodos profiláticos e de controle.

Palavras-chave


estreptococose; teleósteos; bacteriose

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Revista de Ciências Agroveterinárias
 
Centro de Ciências Agroveterinárias - UDESC
Av. Luiz de Camões, 2090 - Bairro Conta Dinheiro
CEP 88520-000 - Lages - SC
Tel (+55 49) 3289-9152
 
rca.cav@udesc.br