Atenção primária e o controle ético da população animal: uma abordagem multidisciplinar na atuação do castramóvel no município de Ponta Grossa, estado do Paraná, Brasil

C. E. Coradassi, L. M. Ingles, C. C. Pereira, P. V. A. Santos, S. Souza, H. A. Alves

Resumo


O controle ético da população dos animais de companhia é um desafio que requer estratégias diferenciadas. A Atenção Primária (AP), sob a ótica de vínculo e território, tem papel fundamental para a obtenção de dados e interação da temática junto às comunidades locais. De acordo com a resolução 962/2010, do Conselho Federal de Medicina Veterinária, o Castramóvel é uma Unidade Móvel de Esterilização e Educação em Saúde (Umees). O Castramóvel é uma estrutura instalada para proporcionar a diminuição da população de animais errantes nas ruas e diminuir o número de atendimentos por mordeduras de cães nas unidades de pronto atendimento dos municípios. No município de Ponta Grossa, Estado do Paraná, Brasil, no período compreendido entre os anos de 2013 e 2015 há o registro 2876 atendimentos de seres humanos agredidos por animais de companhia – Sistema Nacional de Informação de Agravos e Notificação (Sinan). Ponta Grossa possui uma população de 337.308 habitantes e seis regiões de saúde. O Castramóvel é vinculado a uma Unidade de Saúde da Família (USF) de referência, atendendo a população daquele território, o tempo médio de permanência em cada região depende das metas a serem atingidas (70% das castrações previstas para a região). O cadastro é realizado na USF, onde os munícipes podem manifestar a intenção de castrar os seus animais de companhia (cães e gatos). Após o cadastro, é realizada reunião com a equipe de Agentes Comunitários de Saúde (ACS), que auxiliam na priorização dos casos por conhecerem cada microárea. Os solicitantes são contatados por telefone ou via ACS, que informa o dia e horário da cirurgia. O procedimento é realizado no Castramóvel e os usuários recebem informações pertinentes à tutela responsável dos animais, dicas de cuidados gerais e orientação para o pós-operatório. A avaliação do programa é efetuado com o preenchimento de relatórios semanais, em que são informados: número de animais cadastrados, número de animais esterilizados, número de animais faltantes e intercorrências. No ano de 2015 foram cadastrados 281 animais, de 160 famílias de duas regiões de saúde do município, e realizadas 123 cirurgias de castração. A parceria com a AP para o controle ético da população animal, determina que o trabalho multidisciplinar é possível para que um objetivo comum possa ser alcançado. O empoderamento e a emancipação do usuário com relação ao serviço que a ele é disponibilizado representam um exercício da cidadania e fortalecem a relação de confiança entre as equipes de saúde da família e a sua comunidade. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br