Enriquecimento ambiental como instrumento de bem-estar no abrigo municipal de gatos no município de Pirassununga, estado de São Paulo, Brasil

M. F. Martins, C. E. S. González, P. Tatemoto, J. Ferreira, F. B. Barbosa

Resumo


A disciplina optativa de Comportamento e bem-estar animal (VNP0439) apresentou como principal foco das aulas práticas a participação dos alunos no gatil municipal de Pirassununga, Estado de São Paulo, Brasil. O trabalho com enriquecimento ambiental teve por base o conhecimento científico para elaboração de etogramas e materiais artesanais aliados à análise do comportamento basal, antes da introdução do enriquecimento e após o enriquecimento, correlacionando o comportamento dos gatos aos parâmetros comportamentais qualitativos. O bem-estar animal voltado para o enriquecimento ambiental pode facilitar muito a adaptação dos gatos ao ambiente do abrigo e à sua nova morada, aumentando as chances de serem adotados e aceitos pelos novos tutores, o que viria a diminuir e impedir o seu abandono. A pesquisa foi realizada no período de janeiro a abril de 2016, no gatil municipal de Pirassununga, Estado de São Paulo, Brasil, onde foram encontrados cerca de 60 gatos, de ambos sexos e de diversas faixas etárias, que ocupavam a mesma baia, com estruturas precárias e superlotação, o que levava a escassez de estímulos adequados para os gatos executarem comportamentos exploratórios e sociais. O enriquecimento ambiental empregado foi constituído por materiais improvisados e artesanais, e também de reciclagem, como coberturas de caixas de papelão cobertas com camisetas, arranhadores feitos de cone e cobertos por tapetes, brinquedos que emitem sons quando tocados, diferentes tipos de túneis e diferentes estruturas físicas fixas (tubos de PVC, madeiras e plásticos). Foram também realizados etogramas com padrões gráficos representativos do comportamento, antes e depois do enriquecimento, e análises qualitativas dos comportamentos registrados. Após a verificação da normalidade, os resultados obtidos foram submetidos à análise de variância. O resultado mais notável nos etogramas após o enriquecimento foi de que 64% dos gatos apresentaram comportamento exploratório no ambiente. Após o enriquecimento, as interações entre os animais aumentou em 84% no ambiente, o que foi representado por atitudes de socialização entre eles e maior receptividade aos tratadores e pesquisadores. Somente 12% dos gatos apresentaram interação com os arranhadores, havendo preferência de 64% por prateleiras e tocas. A conclusão obtida foi que a introdução de enriquecimento ambiental para os gatos foi extremamente benéfica não só para os gatos, mas também para o aprendizado dos alunos, e que esta promoveu o bem-estar dos animais, diminuindo a sua vocalização e o medo em relação aos seres humanos, além da diminuição dos comportamentos agonísticos, o que sugere que o enriquecimento ambiental pode ser fonte de experiências positivas para o desenvolvimento da socialização dos animais. As atividades de bem-estar, com o emprego do enriquecimento ambiental aplicadas ao animais do abrigo, apresentaram bons resultados, confirmados pela análise dos etogramas efetuados. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br