Avaliação do grau de bem-estar dos cães comunitários do município de Pinhais, estado do Paraná, Brasil

É. F. L. Pereira, C. Constantino, S. Marconcin, A. W. Biondo

Resumo


Cães em situação de rua podem formar vínculos afetivos com as pessoas da vizinhança, o que pode constituir uma estratégia de manejo sanitário e populacional. Quando esses cães se instalam na vizinhança e recebem cuidados dos moradores locais, como alimentação, abrigo e afeto são então chamados de comunitários. Portanto, o trabalho avaliou a condição de vida dos cães vivendo como comunitários no município de Pinhais, Estado do Paraná, Brasil, assim como o grau de bem-estar de tais animais. Foi avaliado o grau de bem-estar de 108 cães comunitários, dos quais 37 estavam instalados em órgãos públicos (Secretaria de Meio Ambiente, Secretaria de Educação, Secretaria de Obras Públicas, Horto Municipal, Associação de Recicladores, Terminal Urbano de Ônibus e na Unidade de Saúde da Família do Tarumã) e 71 em bairros da cidade de Pinhais (Jardim Cláudia, Alto Tarumã, Jardim Atuba, Centro e Vargem Grande). O critério adotado para a avaliação do grau de bem-estar animal foi baseado no conceito das cinco liberdades e modificado dos indicadores de bem-estar animal de Hammerschmid. Foi constatado que o grau geral de bem-estar dos cães em lugares distintos é regular, com algumas tendências para alta. A liberdade nutricional apresentou alto grau de bem-estar para a maioria dos cães avaliados. Entretanto, as liberdades sanitárias, psicológicas e comportamentais tiveram grau de bem-estar regular. Nenhum animal tinha restrição severa de espaço, por isso podiam expressar seu comportamento natural da espécie, como correr, cavar e fuçar. Entretanto, a liberdade ambiental foi a mais comprometida, pois nem todos os animais possuíam abrigo e estrutura confortável para descanso; no entanto, todos tinham acesso à área com grama. Não houve diferença dessa observação tanto nos órgãos públicos como nos bairros. No Terminal Urbano de Ônibus de Pinhais foi verificado baixo grau de bem-estar dos cães comunitários. Quanto à relação entre os cães e os seus mantenedores, todos apresentavam comportamentos positivos e estavam felizes ou tranquilos em sua presença. Com a pesquisa, pode- -se concluir que existem algumas limitações no grau de bem-estar dos cães comunitários em Pinhais, porém os mesmos não apresentam baixa qualidade de vida. O programa “Cão comunitário” pode ser implantado no município, porém deve se atentar para aplicação de ajustes na manutenção dos animais e na melhoria da sua qualidade de vida. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br