Analgesia epidural com xilazina ou detomidina em cães submetidos a procedimentos ortopédicos

Maria Olivo de Cerqueira, Celso Braga Sobrinho, Dayane de Oliveira Ferreira, Jordana Casemiro Pinto Monteiro

Resumo


Os agonistas dos α2-adrenorreceptores podem ser classificados
como sedativo-hipnóticos e têm propriedades adicionais
miorrelaxantes e analgésicas, portanto, por apresentarem tais
características, eles são alternativas ao uso dos opioides, via
epidural. Assim, foram avaliados em catorze cães os efeitos
analgésicos e cardiorrespiratórios causados pela injeção epidural
de xilazina ou detomidina, para comparar o grau de analgesia
proporcionado por ambos. Utilizou-se a escala de Melbourne,
considerando como critérios para a administração da analgesia de
resgate uma pontuação de 13 pontos. Os grupos não apresentaram
diferenças significativas e não necessitaram de resgate analgésico.
A conclusão foi que os dois fármacos produzem analgesia intensa
durante os períodos transcirúrgico e pós-operatório sem causar
qualquer depressão respiratória, bradicardia ou hipotensão.

Palavras-chave


agonistas dos α2-adrenorreceptores; epidural; analgesia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br