Atividades desenvolvidas durante a residência em Medicina Veterinária do Coletivo, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, estado do Paraná, Brasil

A. B. B. C. Favaro, G. D. Araujo, R. C. M. Garcia

Resumo


A área de Medicina Veterinária do Coletivo (MVC), relativamente nova no Brasil, teve como seu primeiro curso de especialização a residência oferecida pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), campus Curitiba, a qual já possui quatro turmas formadas. A MVC baseou-se inicialmente na especialização estrangeira Shelter Medicine, que possui como pilar o manejo de abrigos para cães e gatos. Entretanto, devido às demandas latino-americanas referentes à saúde coletiva e ao manejo populacional de cães e gatos, a MVC objetiva proporcionar aos ingressantes atuação em problemas de políticas e serviços públicos que envolvam a intersecção entre as saúdes humana, animal e ambiental (Saúde Única). As atuações ocorrem principalmente nas áreas de manejo populacional de cães e gatos, Medicina Veterinária legal e saúde coletiva. A residência possui duração de 24 meses e atualmente são abertas cinco vagas por ano. Até agora, os residentes em Medicina Veterinária do Coletivo, desenvolvida pela UFPR, têm atuado em três municípios de diferentes tamanhos e realidades: Pinhais (117.166 hab.), São José dos Pinhais (290.000 hab.) e Curitiba (1.894.000 hab.). As atividades foram realizadas junto aos órgãos de defesa e proteção animal situados nas respectivas secretarias municipais de meio ambiente. Quantitativamente as principais ações realizadas foram: triagem de cães e gatos para os programas de castração (1.014 animais), vistorias e revistorias (monitoramento) de fiscalização de maus-tratos (283), e atendimento de animais em vulnerabilidade para realização de eutanásias e avaliações clínicas (209 animais). Além disso, os municípios contavam com o apoio da Unidade Móvel de Esterilização e Educação em Saúde (Umees) da UFPR, que realizou cerca de 500 castrações. Na Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba foram acompanhadas as atividades desenvolvidas pelo distrito sanitário, principalmente a vigilância sanitária, que foi o procedimento predominante, caracterizada pelas inspeções para obter se a concessão de licença sanitária para os estabelecimentos comerciais de interesse a saúde. No Hospital Veterinário da UFPR (HV-UFPR) foram realizadas as atividades inerentes à Medicina de Abrigos. O fato se deu devido aos frequentes abandonos de cães nas instalações do HV, demandando práticas de manejo etológico, manejo sanitário e encaminhamento para adoção. Além disso, os residentes também eram consultados por médicos-veterinários de outras áreas em atividade no HV acerca de casos suspeitos de maus-tratos e possíveis encaminhamentos. A conclusão obtida foi que a MVC é uma especialidade da Medicina Veterinária que propicia a realização de práticas em parceria com profissionais de outras áreas, visando o tratamento de temas urgentes de interesse público relacionados à Saúde Única.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br