Acidentes por mordeduras de cães no município de Curitiba, estado do Paraná, Brasil: análise do perfil epidemiológico agravo para direcionar ações de prevenção

C. Constantino, E. C. Silva, D. M. Santos, A. P. C. M. Poleto, V. M. Morikawa

Resumo


A interação entre seres humanos e cães traz inúmeros benefícios, contudo pode apresentar inconvenientes como as mordeduras. A principal preocupação é o cão como potencial transmissor da raiva ao ser humano, além de gastos com tratamento pós-exposição ao vírus rábico, tratamento da ferida e dos traumas psicológicos que também devem ser considerados. Em 2015, foram notificados 9.129 acidentes por animais potencialmente transmissores da raiva (AAPTR) em Curitiba, sendo o agravo de notificação compulsória de maior frequência no município. Este trabalho identificou o Distrito Sanitário (DS) com maior incidência deste agravo e investigou o perfil epidemiológico dos acidentes por mordeduras atendidos em Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Curitiba/PR. Foi realizado o estudo retrospectivo das notificações de AAPTR registradas no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) atendidos em UBS no período de janeiro de 2010 a dezembro de 2015. O armazenamento e a análise dos dados foram realizados com o emprego do software Microsoft Excel 2010. Das 21.846 notificações deste agravo registradas nas UBS no período analisado, 18.629 (85,3%) foram devido a mordeduras de cães. O DS Boa Vista foi o que apresentou a maior frequência de notificações (3.390; 18,2%), entretanto, o que apresentou maior incidência foi o DS Tatuquara (1.740; 9,3%), com o valor de 2,12. Dos 18.629 casos notificados, 9.424 (50,6%) eram de vítimas do sexo masculino, 15.213 (81,7%) de cor branca, 9.781 (39,43%) com idade entre 19 e 59 anos, e 5.050 (27,1%) possuíam ensino fundamental incompleto. Em 8.220 (40,9%) casos, os ferimentos localizavam-se em membros inferiores, em sua maioria eram múltiplos (9.417; 49,8%) e profundos (10.665; 55,3%). O cão agressor estava sadio no momento do acidente em 14.826 (78,4%), em 14.321 (75,8%) ele foi passível de observação, e 13.412 (70,9%) animais foram clinicamente negativos para raiva. A análise dos casos de mordeduras de cães com base nas notificações AAPTR das UBS permite inferir sobre alguns locais de maior ocorrência, visto que estas unidades atendem a população descrita. A partir da análise deste agravo, podem ser direcionadas ações de educação em saúde, entretanto, algumas ações de prevenção de acidentes por cães ficam prejudicadas, pois não se conhece o perfil dos animais agressores. A contínua vigilância das mordeduras pode contribuir para o direcionamento das ações de educação em saúde para os grupos mais atingidos e para as regiões com maior demanda, assim como os programas de guarda responsável devem atuar também com foco na prevenção deste agravo. O DS com maior incidência foi o Tatuquara, as vítimas eram predominantemente do sexo masculino, raça branca, com idade situada entre 19 e 59 anos, com ensino fundamental incompleto e com ferimentos múltiplo e profundos, localizados em membros inferiores.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br