Fluidoterapia nos pacientes em choque séptico: revisão de literatura

Natalia Alves Cardoso, Celso Braga Sobrinho

Resumo


Sepse, definida pela Síndrome da Resposta Inflamatória Sistêmica (SRIS) secundária a um agente infeccioso, é uma afecção comum em cães e gatos e está relacionada a altos índices de morbidade e mortalidade nestas espécies. Sua patogenia é complexa e multifatorial, mas a instabilidade hemodinâmica tem sido apontada como fator relevante para o alto índice de óbito nos pacientes, pois gera hipóxia e subsequente disfunção de múltiplos órgãos. O tratamento é baseado na terapia guiada por metas e tem como objetivo restaurar o equilíbrio circulatório pela infusão de grandes quantidades de fluido, sendo que a escolha da fluidoterapia adequada é ainda muito controversa. Assim, esta revisão descreve a fisiopatogenia da sepse e compara resultados do uso de coloides e cristaloides apresentados nos periódicos consultados.

Palavras-chave


sepse; choque séptico; fluidoterapia; coloides e cristaloides

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





A revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP
 
Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo
Rua Apeninos, 1088 - Paraíso
CEP 04104-021 - São Paulo - SP
Tel: (+55 11) 5908-4799
Fax: (+55 11) 5084-4907
 
comunicacao@crmvsp.gov.br
www.crmvsp.gov.br