Cisto de ducto mesonéfrico uterino remanescente em cadela (Canis familiaris) - primeiro relato de caso no Brasil

Ivan F. Charas Santos, Maira Duarte Del Poente, Bruna Brancalion, Bruna Martins Silva, Mayara Viana Freire Gomes, Frederico Matheus Ducatti Gois, Diana Milanez Avila Dias Maciel

Resumo


O objetivo do trabalho foi descrever um caso de cisto de ducto mesonéfrico remanescente uterino em cadela da raça Pinscher, 8 anos de idade. A principal queixa do proprietário foi ausência de cio com duração de 18 meses. No exame físico evidenciou-se presença de cistos em todos os tetos, confirmado pelo exame citopatológico. Foi realizado hemograma, exames de bioquímica sérica, urinálise, exame radiográfico do tórax e ultrassom abdominal, e não foram observadas alterações. Durante o procedimento de ovário-histerectomia, foi observada hiperplasia endometrial e o diagnóstico histopatológico foi de cisto de ducto mesonéfrico remanescente uterino associado à hiperplasia endometrial discreta. Concluiu-se que a identificação histopatológica adequada do cisto de ducto mesonéfrico uterino é crucial para que o mesmo não seja confundido com neoplasia.

Palavras-chave


anormalidade urogenital; ducto de Muller; ducto de Wolffian; cisto; pequenos animais

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Veterinária e Zootecnia
 
Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Campus Botucatu
Distrito de Ruibião Júnior, s/n
CEP 186818-970 - Botucatu - SP
Tel (+55 14) 3880-2094
Fax (+55 14) 3880-2042
 
vetzootecnia@fmvz.unesp.br