Ausência de Helicobacter spp. em lesões gástricas de suínos pelo método Warthin-Starry

Natalia Viana Tamiasso, Juliana de Castro Cosme, Marcus de Freitas Ferreira, Louisiane de Carvalho Nunes

Resumo


Ao considerar o impacto das úlceras gástricas na saúde animal, as perdas econômicas que podem ser geradas por elas, a falta de dados sobre a etiologia do processo e a possibilidade de estabelecer ações preventivas, objetivou-se com este estudo verificar lesões gástricas em suínos em idade de abate e relacionar os resultados com infecção por Helicobacter spp. Foram analisados estômagos suínos que apresentaram lesões em região de pars esophagea. A coleta foi realizada no matadouro frigorífico de Muniz Freire, Espírito Santo, sob Serviço de Inspeção Estadual. Ao verificar a existência de lesões gástricas, o órgão era avaliado e classificado macroscopicamente. Após, quatro fragmentos de cada estômago foram coletados: região de pars esophagea; região de corpo; região de fundo e região pilórica. O material obtido foi encaminhado ao Setor de Patologia Animal da Universidade Federal do Espírito Santo, onde foi submetido ao processamento de rotina para inclusão em parafina e microtomia. Para cada bloco de parafina foram confeccionadas duas lâminas, sendo uma corada pelo método Hematoxilina-Eosina e outra corada pelo método Warthin-Starry. As lâminas foram classificadas conforme as lesões microscópicas e avaliadas para presença de bactérias do gênero Helicobacter. Após obtenção dos dados, os resultados foram submetidos à análise descritiva. Todos os estômagos apresentavam algum grau de lesão. Apenas um estômago não apresentou lesão na porção glandular. Ao analisar a lesão microscópica de paraqueratose, verificou-se presença dessa alteração na porção aglandular de oito estômagos. Não houve paraqueratose em nenhuma região glandular. Quatro estômagos apresentaram ulceração na microscopia. Todos os estômagos apresentaram algum grau de infiltrado inflamatório mononuclear. Em nenhuma amostra foi possível visualizar bacilos do gênero Helicobacter. As principais lesões gástricas observadas em suínos em idade de abate foram paraqueratose, ulcerações e infiltrado inflamatório, sem relação com a infecção por bactérias do gênero Helicobacter.

Palavras-chave


etiologia; helicobacteriose; paraqueratose; úlcera gástrica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.





Veterinária e Zootecnia
 
Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia - Campus Botucatu
Distrito de Ruibião Júnior, s/n
CEP 186818-970 - Botucatu - SP
Tel (+55 14) 3880-2094
Fax (+55 14) 3880-2042
 
vetzootecnia@fmvz.unesp.br